27 março 2016

Resenha: A Elite - Kiera Cass


Tirada do Tumblr

Depois de ter feito a resenha do primeiro livro A Seleção, hoje trago a resenha do segundo livro, A Elite. 

Na "segunda fase" da Seleção, restam apenas 6 garotas disputando a coroa e encontramos América mais perdida do que nunca. Ela se vê dividida entre escolher entre Aspen e Maxon. No fundo, ela sabe o que realmente quer e mesmo que seja difícil ela percebe que está envolvida demais com Maxon para poder negar seus sentimentos ou fingir que eles não exitem.

A questão política está bem visível nesse livro e os ataques dos rebeldes cada vem mais intensos o que nos questiona se não há mais um grande motivos para eles. Vemos também como surgiu Illéa, que não foi nada orgulhoso e podemos entender como como e porque as castas foram criadas.

O rei Clarckson vai mostrando aos poucos o quanto ele é odioso e sem coração. E por falar em sem coração, Celeste apronta o dobro do primeiro livro, mas, nossa amada America lhe acerta a mão na cara. Coisa que deveria ter feito antes.

Maxon me surpreendeu muito, mostrou ser mais maduro e mostra ter mais consciência do que acontece ao seu redor. Já America, mesmo na corda bamba, ela continua no concurso e mostra sua força e determinação em continuar no mesmo.
- Não sei - respondi, dando de ombros. - Só acho que formaríamos um bom "nós".
Ele abriu um sorriso.
- Formaríamos um "nós" maravilhoso. 
- Como é amar?
- É a coisa mais maravilhosa e terrível que pode acontecer com você - afirmou com simplicidade- você sabe que encontrou algo incrível e quer levá-lo para sempre consigo. E um segundo depois de ter aquilo, você fica com medo de perder. O amor é um belo medo.
 Em breve volto com a resenha do terceiro livro, A Escolha. Um beijo e até a próxima.

23 março 2016

E eu sei que você é o meu





Ando meio sumida do blog por alguns motivos pessoais, mas, achei esse texto bem fundo de gaveta e resolvi postar para vocês. Em breve estou de volta. <3
---

Oi moço, tudo bem? Venho aqui para falar que cheguei no meu limite e não aguento mais. Tudo o que eu preciso agora é de um pouco de paz. E nada mais me trás tanta paz quanto você. Sei que a rotina anda complicada, mil coisas a se fazer todos os dias. Meus olhos me entregam quando você vira a esquina e um minuto ao teu lado já me faz um pouquinho feliz.

O que me cabe é imaginar-te quando estas longe. Visto aquela tua camisa, coloco uma música que me faz lembrar de ti e me deixo levar. Sei que toda essa distancia valerá a pena no futuro. E com essa saudade, a gente dá um jeito.  Afinal, quando estamos juntos nada mais importa. Ao seu lado é meu melhor lugar.

Até que tudo vira real e a distância parece mínima. Tua voz ecoando pela casa, teu beijo de manhã acompanhado com um bom dia. Conversas jogadas fora, partidas de videogame, brigas sobre qual filme assistir e quem vai lavar a louça no fim do dia. Prometo que viro a noite contigo se prometer me amar pela manhã, te prometo que meus melhores sorrisos serão teus.

Prometo abrir um sorriso verdadeiro ao te ver entrar em casa com aspecto cansado após um longo dia. Prometo de te dar um beijo quando fores me buscar no trabalho e para te alegrar, contarei minhas piadas que você já sabe decoradas.

Dizem que amor na vida só existe um, e eu sei que você é o meu.

05 março 2016

Preciso te deixar ir


Às vezes, por mais que você não queira, você é obrigada a fazer certas escolhas. E agora, escolhi te deixar ir, moço.

Não é que eu queira que você vá embora, eu te quero aqui, no mesmo lugar de antes. Com a mesma necessidade de cuidar um do outro. Mas, você tomou a decisão de ir, e por mais que me doa, agora eu te deixo ir.

Eu finalmente entendi tudo o que me disse no ultimo adeus. As coisas realmente mudaram, não somos mais os mesmos. E ainda assim, com todas as mudanças, sempre me fizestes feliz. O que sinto por ti não diminuiu, mas preciso de te deixar ir. 

Vou repetir a legenda de uma das fotos que postei contigo "Mas, não haverá um só dia em que eu não me lembre de você". E é verdade, moço. Lembrarei com muito carinho de todos os nossos bons momentos, e com uma certa saudade também. Escrevemos tantos textos sobre reencontro que eu não vou me surpreender se algum deles acontecer e nos esbarrarmos por ai. 

Mas, por agora, eu preciso te deixar ir. Ficarei aqui, torcendo pelas tuas vitórias e comemorando cada vez que souber das tuas conquistas. Eu sei que se for da vontade de Deus que fiquemos juntos, até  vento contra conspirará a favor.

Um beijo, moço. Até breve.